Primeira eleição após o impeachment da ex-presidenta Dilma Roussef, num cenário político conturbado, o Partido dos Trabalhadores busca a difícil reeleição de Fernando Haddad para a Prefeitura de São Paulo nas eleições municipais de 2016. O ex-senador Eduardo Matarazzo Suplicy, derrotado na reeleição para o quarto mandato no Senado em 2014, se candidata a vereador. Esse é o pano de fundo de Quatro Dias com Eduardo, primeiro documentário sobre o político Eduardo Suplicy, que estreia no dia 16 de dezembro, segunda-feira, no Festival do Rio de 2019.

Selecionado para a mostra não-competitiva Itinerários Únicos, o longa leva o espectador a acompanhar a rotina intensa e imprevisível do candidato nos últimos dias de campanha até a vitória. Suplicy se elegeu com 301,4 mil votos, conquistando o título de vereador mais bem votado da história do Brasil. “O filme tem uma perspectiva mais contemplativa ao olhar para o cenário político brasileiro dos últimos anos. Ainda que se passe inteiramente em 2016, traz uma atualidade dentro de uma abordagem menos panorâmica e mais intimista. Também é um registro de uma personalidade icônica da política brasileira e da primeira eleição após o impeachment, uma espécie de termômetro para 2018”, explica Victor Hugo Fiuza, diretor do longa-metragem.

Para rodar Quatro Dias com Eduardo, o diretor, junto com a produtora Glenda Almeida e o diretor de fotografia Thiago Rios, saíram do Rio de Janeiro para acompanhar a agenda carregada e acelerada do candidato pela imensa São Paulo. “A persistência, algumas vezes inusitada, de Eduardo Suplicy sempre nos chamou atenção. O que poderíamos descobrir estando mais perto?”, indagou Glenda.

A equipe mergulhou em uma rotina intensa e cheia de compromissos. Ao trazer isso para as telas, o espectador irá conhecer a vida privada e os bastidores do fazer político de Eduardo Suplicy. Em parceria com uma equipe técnica de São Paulo, o grupo foi a comícios no Capão Redondo; a uma tradicional missa católica de domingo; assistiu a uma peça de teatro sobre Cartola no centro; a entrevistas para imprensa e também acompanhou uma aula de ginástica após comemorar a vitória nas eleições.

Rodado de forma independente, Quatro Dias com Eduardo teve uma campanha de financiamento coletivo. “Estrear no Festival do Rio é abrir o filme para o mundo numa das principais janelas cinematográficas do país, mas se sentindo reconhecido em casa. Acho um privilégio”, finaliza Victor Fiuza.

O Lançamento

Estreia no Festival do Rio
Dia: 16/12, às 18h
Estação NET Gávea 1 e 2 – Shopping da Gávea
Rua Marquês de São Vicente, 52 – RJ

Sessão alternativa
Dia: 17/12, às 15h15
Local: Estação NET Rio 3 – Botafogo
R. Voluntários da Pátria, 35 – RJ de Janeiro

Quatro Dias com Eduardo (76min)
Direção: Victor Hugo Fiuza
Produção: Glenda Almeida
Direção de Fotografia: Tiago Rios
Som: Vanessa Negrini
Fotografia adicional e assistência de produção: Vitor Garcia
Mixagem: Bernardo Adeodato

Victor Hugo Fiuza
Formado em Cinema e Antropologia da Arte, em 2018 dirigiu o clipe “Ok, Ok, Ok”, de Gilberto Gil e o documentário “Racionais MC’s: Uma História Musical”, em homenagem aos 30 anos do grupo, pela plataforma de streaming TIDAL. Na Agência 14, realizou projetos audiovisuais para Os Paralamas do Sucesso, Anistia Internacional e Coca-Cola. Seu último curta-metragem “Uma História das Cores’’, passou por diversos festivais no Brasil e recebeu o Prêmio Cinema da Gema, no Festival Visões Periféricas (RJ), em 2018, e o de melhor filme no Circuito Penedo de Cinema, em 2019.

Glenda Almeida
Jornalista fluminense formada pela Escola de Comunicações e Artes (ECA – USP), especializada em conteúdo estratégico e gestão da inovação. Destaca seu estágio no projeto “A Redemocratização do Brasil, segundo Dalmo Dallari”; a passagem pelo G1; sua atuação na Agência 14 em projetos de arte e cultura, como o Festival Multiplicidade, Travessias – Arte Contemporânea na Maré, FLUP – Festa Literária das Periferias e a última turnê dos Rolling Stones no Brasil; além da produção do curta-metragem “Uma História das Cores”, dirigido por Victor Hugo Fiuza.

Tiago Rios
Como diretor de fotografia, trabalhou em “Duelo Antes da Noite”, de Alice Furtado; nos curtas “Solombra”, “Em Ruínas”, “Carapebus”; e em séries documentais dirigidas pelo diretor Silvio Tendler, como “Caçadores da Alma” e “Brasil Místico”. Em longa-metragem, se destacam os filmes “Doppelganger”, de Domingos Oliveira, e “Planta Baixa”, de Igor Angelkorte e Miwa Yanagisawa. Foi curador da mostra “Paulo José – meio século de cinema”, em 2015, na Caixa Cultural RJ.

Vanessa Silva
Formou-se em Audiovisual pela USP e cursou Réalisation Audiovisuel pela ESAV de Toulouse. Vive e trabalha em São Paulo com Som Direto para audiovisual e participa paralelamente de projetos e coletivos independentes, como o ReconstruSom e o MQV.

Vitor Garcia
Formado em Rádio e TV pela Unesp, transita entre a fotografia, o cinema e o vídeo. Trabalhou com fotografia de publicidade, moda e retrato. No cinema, atuou na montagem do curta “Vida Madá” e do longa “Memórias da Resistência”. Neste último, fez parte também da equipe de câmera, assim como no longa “Do Pó da Terra”, premiado pelo roteiro e fotografia, exibido em cinemas por todo o Brasil.

Bernardo Adeodato
Formado em cinema na PUC-Rio, usa o som como ferramenta narrativa, trabalhando com pós-produção. Ministra aulas de Design de edição de som na Escola de Cinema Darcy Ribeiro; faz mixagem para cinema e TV na Pro-Class, e foi curador da mostra de cinema “Som: a história que não vemos”. É um dos responsáveis pelo Bando Sonoro, onde atuou em filmes como “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz, “Meu amigo Fela”, de Joel Zito Araújo e “Unicórnio”, de Eduardo Nunes.

Festival do Rio

O Festival do Rio celebra em 2019 a sua vigésima-primeira edição acreditando no poder do audiovisual, nos compromissos estabelecidos com a sociedade, com o país e para além das fronteiras nacionais.

É um ano diferente, com o Festival do Rio realizado em dezembro. Um ano em que o festival existe pelo apoio dos muitos colaboradores, apoiadores, produtores e amigos do mundo todo. O festival mantém sua tradição e garante à cidade e ao seu público fiel uma seleção compacta de cerca de 100 filmes estrangeiros, com os grandes highlights do ano e os filmes mais esperados da próxima temporada. E ainda uma enorme janela das produções brasileiras na Première Brasil.

De 9 a 19 de dezembro o público vai ter a oportunidade de conferir filmes estrangeiros e brasileiros, os premiados, os mais comentados, descobrir raridades, votar no melhor da Première Brasil, participar de debates, sessões especiais, em 15 cinemas da cidade. E ainda das palestras e oficinas no RioMarket, área de negócios do Festival, que este ano vai ocupar o Othon Palace, em Copacabana.

Cinema é indústria. Cinema é cultura e a nova economia. Unir essas pontas no Festival do Rio é uma vitória. Uma programação concebida para divertir, emocionar, estimular discussões e fortalecer o mercado audiovisual. Para enfrentar estes tempos, a recomendação é uma só: vá ao cinema.
Somos muitos pelo cinema!

Conheça as redes sociais de Quatro dias com Eduardo:
Facebook: https://www.facebook.com/QuatrodiascomEduardo/
Instagram: https://www.instagram.com/4diascomeduardo/

Para mais informações:
Canoa Comunicação
Graziela Sirtoli
21 97153-0158
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Por Assessoria de Comunicação

Ler 331 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top