No último domingo (4/8), um torcedor que se manifestava contra Jair Bolsonaro durante o jogo na Arena Corinthians foi preso e humilhado pela Polícia Militar. Os policiais justificaram a ação dizendo que a medida visava garantir a integridade física do manifestante, pois suas palavras poderiam causar um “tumulto generalizado”.

O torcedor foi imobilizado através de um “mata-leão” e algemado, apresentando escoriações nos dedos e nos pulsos. Em seguida, foi levado para o posto do Juizado Especial Cível localizado no estádio, onde foi registrado um boletim de ocorrência “não criminal”. Antes do registro do B.O, o torcedor permaneceu fechado em uma sala onde entravam policiais gritando frases intimidatórias.

Logicamente, não se trata de um boletim de ocorrência criminal, pois, apesar da escalada autoritária que vive o país, estimulada diversas vezes pelas palavras e ações do Presidente da República, ainda não é crime se manifestar politicamente, e a liberdade de expressão é um direito constitucional garantido por cláusula pétrea (CF, art. 5° IX).

O futebol, esporte que povoa o imaginário do povo brasileiro, não pode ficar refém de pequenos ditadores estimulados por um governo que despreza as liberdades individuais. Exigimos a apuração rigorosa da conduta dos agentes da segurança pública envolvidos no caso e nos solidarizamos ao torcedor agredido. Absurdos como estes não podem ser normalizados. Pela liberdade de manifestação nos estádios paulistas!

SECRETARIA ESTADUAL DE DIREITOS HUMANOS PT/SP

07 de agosto de 2019

Ler 68 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top